Médicos em todo o país estão levando a cabo muitos tipos de estudos clínicos (de pesquisa) dos quais as pessoas participam voluntariamente. Isto inclui diversas formas de prevenção, detecção, diagnóstico e tratamento do câncer de próstata; estudos sobre os efeitos psicológicos da doença, e pesquisas sobre formas de melhorar a comodidade e a qualidade de vida. As investigações tem levado a importantes avanços nessas áreas e os pesquisadores continuam buscando enfoques mais efetivos.

As pessoas que participam destes estudos clínicos são as primeiras a terem oportunidade de se beneficiarem dessas novas abordagens. Elas também fazem importantes contribuições para a ciência médica. Ainda que os estudos clínicos possam apresentar riscos, os pesquisadores tomam precauções para proteger as pessoas que deles participam.

Um homem interessado em participar de uma pesquisa deverá conversar com seu médico. Talvez queira ler “A participação em pesquisas clínicas: o que que os pacientes de câncer devem saber” e “A participação em pesquisas clínicas: pesquisas para a prevenção do câncer.” Estes folhetos do Instituto Nacional do Câncer descreve como são realizados os estudos de investigação e explicam os benéficos e riscos possíveis. O site na web do Instituto Nacional do Câncer http://cancer.gov/ClinicalTrials/ traz informações gerais sobre as pesquisas. Também oferece informações detalhadas sobre pesquisas em andamento específicas sobre o câncer de próstata por estar vinculado ao PDQ®, uma base de dados sobre o câncer desenvolvida pelo NCI.

Causas.  Ainda que os investigadores identifiquem vários fatores de risco do câncer de próstata, ainda não estão seguros de porque um homem desenvolve essa doença e um outro não. (Os fatores de risco conhecidos, que incluem a velhice, estão na seção: “Câncer de próstata, quem tem risco?”).

Alguns aspectos do estilo de vida de um homem podem afetar a sua probabilidade de contrair câncer de próstata. Por exemplo, há evidências que indicam uma relação entre a dieta alimentícia e esta doença. As pesquisas mostram que o câncer de próstata é mais comum em populações que consomem uma dieta com alto uso de gorduras (especialmente de gordura animal), e em populações que carecem de determinados nutrientes.  Ainda que não se garanta que uma dieta de baixo teor de gordura irá prevenir o câncer de próstata, ela pode trazer muitos outros benefícios para a saúde.

Outros estudos sugerem que os níveis elevados de testosterona podem aumentar o risco do câncer de próstata. A diferença de risco entre os grupos raciais pode estar relacionada aos níveis elevados de testosterona, mas também poderia ser o resultado da dieta ou de outros fatores do estilo de vida.

Os investigadores também estão pesquisando alterações nos genes que possam aumentar o risco de desenvolver o câncer de próstata. Estão estudando genes de homens que foram diagnosticados com câncer de próstata numa idade relativamente jovem (até 55 anos) e nos genes de famílias em que vários membros tenham tido essa doença. Entretanto, é preciso investigar mais para que os cientistas possam dizer exatamente que relação estes genes têm com o câncer de próstata. Os homens que têm antecedentes familiares de câncer de próstata e que se preocupam se herdaram o risco desta doença deverão conversar com seu médico. O médico poderá recomendar uma consulta a um especialista em genética.

Prevenção. Há várias pesquisas em andamento para explorar como o câncer de próstata pode ser prevenido. Um desses estudos sobre prevenção, o SELECT: Estudo sobre o selênio e a vitamina E para prevenir o câncer, busca determinar se a ingestão de selênio, de vitamina E, ou de ambos pode proteger conta o câncer de próstata. Além disso, estudos recentes indicam que uma dieta que inclua com regularidade alimentos a base de tomate pode ajudar a proteger os homens contra o câncer de próstata.

O fármaco finasterida esta sendo estudado no Estudo de Prevenção do Câncer de Próstata, que compreende milhares de homens em todo o país, que participaram por 7 anos, até o ano 2004.

Os cientistas também estão buscando formas de prevenira recorrência entre homens que receberam tratamento para o câncer de próstata. Estes enfoques envolvem o uso de fármacos como a finasterida, a flutamida e os agonistas do hormônio liberador do hormônio luteinizante. Alguns estudos mostraram que a terapia hormonal após a radioterapia ou depois da prostatectomia radical podem beneficiar certos homens cujo câncer se disseminou pra os tecidos vizinhos.

Os pesquisadores também estão investigando se as dietas com baixos teores de gordura e ricas em soja, frutas, verduras e outros produtos alimentícios podem prevenir a recorrência. O Serviço de Informação sobre o Câncer pode proporcionar informações sobre estes estudos.

Exames seletivos de detecção e detecção precoce. Os pesquisadores estão estudando formas de realizar exames seletivos de detecção (busca da doença em homens que não tenham sintomas, selecionando exames com este fim). Por enquanto ainda não se sabe se os exames seletivos de detecção para o câncer de próstata realmente salva vidas, ainda quando se encontre a doença em sua fase inicial. O Estudo de Detecção de Câncer de Próstata, de Pulmão, Colon-retal e de Ovários (PLCO) financiado pelo Instituto Nacional do Câncer foi projetado para demonstrar se certos exames de detecção podem reduzir o número de mortes por estes cânceres. Este estudo está avaliando a utilidade dos exames seletivos de detecção ao efetuar um exame de toque retal e medir o nível de PSA no sangue, de homens de 55 a 74 anos de idade. Os resultados desse estudo poderão mudar a forma como são examinados os homens quando não têm sintomas de câncer de próstata. O Serviço de Informação sobre o Câncer pode proporcionar informações sobre este estudo.

Tratamento. Através da investigação, os médicos encontram novas formas, mais efetivas, de tratar o câncer de próstata. Muitos estudos sobre novos enfoques para homens com câncer de próstata estão sendo levados a cabo. Quando uma pesquisa de laboratório aponta que um novo método de tratamento é promissor, pacientes com câncer são submetidos ao novo enfoque em estudos clínicos de tratamento. Estes estudos são projetados para responder importantes questões e para verificar se o novo enfoque é seguro e efetivo. Com freqüência, os estudos clínicos comparam o novo enfoque a um enfoque padrão.

A criocirurgia está sendo estudada como uma alternativa para a cirurgia e a radioterapia. O cirurgião evita danificar o tecido são ao colocar um instrumento conhecido como criossonda em contato direto com o tumor pra congelá-lo. O frio extremo destrói as células cancerosas.

Os médicos também estudam novas formas de usar a radioterapia e a terapia hormonal. Eles também estão provando a efetividade da quimioterapia e da terapia biológica para homens cujo câncer não responda mais à terapia hormonal. Além disso, os cientistas estão estudando novos programas de tratamento, e novas formas de combinar vários tipos de tratamento. Por exemplo, investigam a utilidade da terapia hormonal antecedendo a terapia primária (cirurgia ou radiação) para reduzir o tumor.

Para homens com câncer de próstata na etapa inicial, os pesquisadores também estão comparando o tratamento com a espera vigilante. Os resultados deste trabalho ajudarão os médicos a saber se devem dar um tratamento imediato ao câncer de próstata de um estágio inicial ou apenas mais tarde, se apresentarem sintomas ou piorarem.